quinta-feira, 9 de julho de 2009

"Era o meu melhor amigo" - 1ª Parte

Era um dia normal de Verão, bem não se podia dizer muito normal pois tinha acordado por volta das 8 da manha após um fim-de-semana a deitar-me sempre lá para as tantas da manhã. Ontem havia sido o último dia das Festas típicas de Verão da aldeia dos meus avós onde eu tinha ficado toda a semana, não só para ajudar mas também para estar um tempinho com a minha prima mais velha, Carlota. Há muito tempo que não me divertia assim, era uma essência diferente, os sabores únicos, dancei música "pimba" mesmo quando já andava com bolhas nos pés, o ambiente daquelas noites quentes inspiravam-me para fazer loucuras ahah, mas o máximo que fiz foi beber umas quantas cervejas, o cheiro a eucalipto recordava-me os tempos de criança em que precorria aqueles caminhos todos com os meus primos e aquela pequena brisa que se fazia sentir deixava-me de certa maneira feliz mas eu nem sabia bem porquê. Estive sempre bem acompanhada, com a minha prima e os seus amigos de faculdade que tinham montado umas tendas nuns terrenos abandonados e lá ficaram durante todo o fim-de-semana para não perderem pitada de nada. Ao todo eram cinco, três raparigas a Joana, a Letícia e a Daniela e dois rapazes o João e o Samuel mais conhecido por "Sam", ficaram todos a dormir numa tenda para dois, não sei como foi possivel mas que não dormiram durante a noite disso tenho a certeza pois estive sempre com eles até ser de manhã e assim o dia era passado a dormir. Hoje quando acordei já tinham partido para Coimbra, onde todos estudavam e de onde eram naturais. O meu acordar cedo, o que eu odiava teve uma razão de ser, pois ainda tinha de passar por casa e fazer as malas para também para partir com a minha prima para a Cidade Universitária. Siim! Estava muito próximo o meu 1º ano na faculdade ia entrar em enfermagem com uma média de 18,4,fiquei estupfacta ao ver na pauta Leonor Santos Alves - Aprovado(a), mas antes de começar a fase do "marranço" ainda tinha de preencher uns papéis e ir falar com o Senhorio da casa onde a minha prima estava a morar para ver se havia lá um lugarzinho para mim. Pela descrição era um apartamente simpático que tinha sido reconstruido á cinco anos, tinha quatro quartos, duas casas de banho, uma cosinha/sala e uma pequenina varanda. Só pelos pormenores já estava encantada e o facto de poder estar sempre com a minha prima, por quem eu sempre tinha tido uma grande admiração me deixava felicissima!
(continua)
PS. Esta história é um misto de imaginação com uma pitada da vida real

2 comentários:

Anónimo disse...

Gosto muitooooo :D

Rosie Dunne disse...

o "P.S. eu amo-te" tambem já tinha lido, antes de ver o filme. e achei, sem duvida, o livro muito melhor...

gostei de ler o texto, escreves bem :)